sexta-feira, 25 de março de 2011

INTRODUÇÃO: educação para a diversidade e a cidadania

            Realmente, nos dias atuais somos educadores que precisamos estar atentos as diversidades que até então são várias, porque ninguém é igual a ninguém. Nesse sentido, é o diferente como algo positivo e não como discriminação, preconceito e desigualdade. Partindo dessa ideia, a diversidade está relacionada com a educação, porque direciona o ensino educacional e pedagógico, com qualidade para todas as pessoas (MARANHE, MORAES, 2009).
            Conforme as autoras, infelizmente a sociedade vive ainda numa era excludente, referenciada pelo racismo, escravismo, cultura de brancos valorizados, machista e dentre outras causas. Porventura, como profissionais da educação devemos intervir e mediar de forma ativa na mudança desta situação, numa concepção de sócio-interacionismo e cooperativismo.
            A propósito, o grande desafio de uma educação para a diversidade possibilita a pensar nos três pontos fundamentais, que são: 1) redução de desigualdades para que haja possíveis retrocessos na redução das assimetrias sócio-educacionais; 2) respeito à diversidade, que implica em levar em consideração as especificidades de cada região, de cada grupo humano, de suas práticas culturais e a natureza de cada temática envolvida; 3) convicção de que, em uma sociedade pluralista e democrática, é necessário educar para a diversidade, o que significa promover não somente a coexistência respeitosa com a diferença, mas, sobretudo, a incorporação da diversidade como valor societário positivo (FONTES et al., 2006).
            Como descrito por Maranhe e Moraes (2009), a diversidade vem contribuir para os professores na transversalidade do currículo escolar, como por exemplo: temas como os direitos humanos, a educação ambiental, a diversidade étnico-racial e as demandas específicas de indígenas, afro-brasileiros, pessoas com necessidades especiais, questões de gênero e diversidade de orientação afetivo-sexual.
            Portanto, as autoras finalizam que a formação dos alunos na atualidade é para que seja um cidadão ativo, consciente, interativo socialmente, democrático e participativo. Some-se a isto que, poderemos propor assim uma educação para a diversidade e a cidadania. Então, você acredita numa educação para a diversidade e a cidadania?

            Veja este site:

http://www.fundacaobunge.org.br/site/dicionario_de_cidadania/?letras_range=2

            Em adição, aproveitem para assistirem estes dois vídeos:

http://www.youtube.com/watch?v=Quj3aIKkTqs
http://www.youtube.com/watch?v=BUIEEsQ071o

            Acrescentando com a leitura do capítulo 17, escrito por Mara Sapon-Shevin que se encontra no livro “Inclusão: um guia para educadores”, de STAINBACK & STAINBACK (1999). Pois, esse capítulo ensina como contemplar a diversidade baseando-se num currículo centrado nas diferenças raciais, sociais, de gênero e de habilidade.

REFERÊNCIAS


Coleção UNESP-SECAD-UAB: Educação a distância na diversidade/Mara Sueli Simão Moraes, Elisandra André Maranhe, organizadoras. São Paulo: UNESP, Pró Reitoria de Extensão, Faculdade de Ciências, 2009. v. 1.


FONTES, A. et al. O sistema de monitoramento e avaliação baseado em resultados (SM&A-R) para as metas do Programa Educação para a Diversidade e Cidadania. In: TELES, J. L.; SIGNORI, C. T. Educação na diversidade: como indicar as diferenças? Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2006. p. 39. Coleção Educação para Todos, v. 25.

Nenhum comentário:

Postar um comentário